Rainha Vermelha/ Red Queen - Opinião/Review




 Ler em Português      Read in English

Sinopse
A sua morte está sempre ao virar da esquina, mas neste perigoso jogo, a única certeza é a traição num palácio cheio de intrigas. Será que o poder de Mare a salva... ou condena?
O mundo de Mare, uma rapariga de dezassete anos, divide-se pelo sangue: os plebeus de sangue vermelho e a elite de sangue prateado, dotados de capacidades sobrenaturais. Mare faz parte da plebe, os Vermelhos, sobrevivendo como ladra numa aldeia pobre, até que o destino a atraiçoa na própria corte Prateada. Perante o rei, os príncipes e nobres, Mare descobre que tem um poder impensável, somente acessível aos Prateados.

Para não avivar os ânimos e desencadear revoltas, o rei força-a a desempenhar o papel de uma princesa Prateada perdida pelo destino, prometendo-a como noiva a um dos seus filhos. À medida que Mare vai mergulhando no mundo inacessível dos Prateados, arrisca tudo e usa a sua nova posição para auxiliar a Guarda Escarlate – uma rebelião dos Vermelhos – mesmo que o seu coração dite um rumo diferente.

Este é um livro que começou de forma má mas acabou de  forma estrondosa. Para começar, eu como comecei o livro com uma carga de gripe em mim, do género não conseguir respirar nem olhar para as coisas de forma a perceber o que estava na minha frente, devido a esse pormenor, foi me complicado entrar neste livro, pensei que era lento, que a historia não estava a desenvolver-se de todo.

Eu sinceramente, quando estava doente pensei em fazer DNF ao livro e passar para algo mais simples e menos complicado visto que estava quase a morrer quando estava a ler. No entanto, quando cheguei a pagina 70, de repente não conseguia largar o livro, vemos como Mare, uma rapariga Vermelha de repente tem que ser uma prateada devido aos poderes que ela tem. Ninguém esperava que houvesse a possibilidade de haver vermelhos com poderes, ou assim achávamos ao ler. Os vermelhos uma raça, do fundo da cadeia alimentar, é um povo coberto de regras e fazeres, coisas que os Prateados, a raça com os poderes, não suja as unhas para fazer. 

Uma mentira me promoverá, e um dia outra mentira me derrubará.

Ora, quando eu estava a ler a situação da Mare e os poderes dela, eu pensei imediatamente em Divergente, e eu pensei YES! Eu adoro pormenores únicos nos livros, o facto de estar a ter os sentimentos de Divergente estava a deixar-me muito contente. então por estar a ter os sentimentos, eu comecei a devorar o livro. E a medida que leio, vejo como Mare entra no mundo dos Prateados sentindo-se como se não fosse mesmo daquele local, vemos como ela luta com a duvida de que todos os Vermelhos pensam, ela começa a pensar que estava a trair o seu próprio povo, a medida que também é utilizada pela realeza para os seus próprios fins.

-Acordei esta manhã como uma pessoa - resmungo em surdina, mais para mim própria do que para ele - e agora devo supostamente ser alguém completamente diferente.

As únicas pessoas que a ajudam é Maven e Cal os irmãos, dois irmãos que ajudam por completo para não haver problemas e descobrissem a verdade de Mare. Mas o que ela não esperava era que um dos irmãos se juntava a ela numa conspiração. 

Eu sinceramente, é a primeira vez que estava a ler algo assim, e do inicio ao fim fiquei super contente, por estar a ler este livro, entrei num livro onde politica começa a ser importante, assim como uma revolução que infelizmente tem as suas baixas. E vemos como Mare tem que ser algo que não é, que começa a se apaixonar. 

O enredo apesar de ser espectacular achei que no entanto havia falhas, havia algo que faltava, não conseguia criar uma imagem nítida dos locais, a historia ou andava rápido ou andava devagar e isso deixava-me sempre com um pé atrás. 

As ideias dos poderes, a ideia da politica, a intriga no geral com a Alvorada Vermelha, foi espectacular, adorei cada momento louco, cada momento em que me deixava a roer as unhas. Cada momento em que Mare tinha que se por a frente e ser ela a levar o peso nos ombros deixava-me completamente entusiasmada. No entanto, apesar de isso tudo, foi apenas com Mare que consegui sentir qualquer vinculo. O que ao meu ver deixou-me um pouco triste. Porque eu queria conhecer Cal, cada cena com Cal deixava-me com borboletas no estômago, mas não o suficiente. 

O final, eu sinceramente, não estava de todo a espera do final, eu pensei em tudo menos na possibilidade daquilo acontecer, para quem já leu os livros sabe do que estou a falar. Eu fiquei surpreendida, furiosa e louca quando aconteceu, sofri juntamente com as personagens e estou ansiosa para ler o segundo livro que sairá no dia 20 de Outubro, e se quiserem comprar neste momento, irá com o primeiro de oferta, podem saber mais sobre isso aqui

Os seus movimentos parecem arrastados e estranhos, e quando de novo se firma sobre os pés, com as mãos nos quadris, sinto que o vejo pela primeira vez. Os olhos dele são tão frios.

Sem comentários:

Com tecnologia do Blogger.