quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Uprising, opinião - Day-By-Day 6#

Encontrei está autora na Wattpad e decidi critica-la, porque ela conseguiu o impossível, ora aqui está:



sinopse: Num futuro não muito distante, uma nova estirpe viral ameaça exterminar a espécie humana da Terra. O estado máximo de alerta pandémico obriga ao êxodo das grandes cidades. Em Los Angeles, um grupo de amigos tenta ignorar o pânico geral da população, culpando os media pelo sensacionalismo. Jake Brody já vira coisas mais assustadoras do que uma simples doença. Já vira muitas pessoas morrerem sem poder evitar, já salvara outras tantas. E é por isso que não consegue ignorar o apelo daquela rapariga misteriosa prostrada no alcatrão. Ela parecia tão inocente, tão frágil. Tudo o que ele tinha que fazer era descobrir quem ela era, de onde vinha e porque tinha um medo tão irracional de sair daquela cidade. Depois levá-la-ia em segurança para casa e a sua vida continuaria igual. Não era?

Opinião:

Adoro o Liam, a Ella, a Nora, a Hill, o Jace mas eu as vezes também amo as personagens que outros autores me proporcionam, uma das personagens é Kim.

Para começar o enredo muito bem explicado, o drama atinge de uma maneira que faz uma pessoa suster a respiração, mas o melhor é o facto de não ter escapado nada a autora, desde geografia, a factos científicos e históricos, chega a uma pessoa entrar no drama e viver as emoções das personagens.

A melhor personagem na história é Kim que tem um fator importante na história o que psicologicamente se chama a tábua rasa, ou seja, amnésia, ela não tem qualquer memória da sua antiga vida quando é encontrada por Jake. Outra personagem que eu também amo é Rachel que me faz tanto lembrar da escritora, já tive a honra de falar com ela e consigo associar Rachel a Martafz, posso estar enganada mas verdade seja dita quando escrevemos colocamos um pouco de nós próprios nas histórias. O facto de a história ser rotativa (ou seja, vista na perspetiva de várias personagens),  ter os flashbacks e ter o contínua linha de mistério faz com que a história nunca perca interesse.

Martafz proporciona um mundo bastante apocalíptico, bastante realista e que nos prende por completo e de se chegar a casa pegarmos num bocado de chocolate e café e devorar por completo a história. E o melhor de tudo é que a história ainda não acabou... by the way quando acabar darei também a minha opinião aqui...

Hello, I'm backkkkk




Oi lovewriters, eu tenho tannnnnntaaaaaa coisa a dizer vou fazer uma lista:
- Eu não apareci porque andei a trabalhar horas extras, e chego cansada a casa e tenho que trabalhar mais uma vez, por isso deixei de vir, desculpem.
- Neste tempo finalmente pôs algumas leituras em dia!!! Wooooow, vai sais umas opiniões.
- Estou desiludida deixar tanto tempo passar, mas não tive ferias...
- Tenho muitos contos para actualizar aqui.
- Estou fã de alguns escritores novos que encontrei.
- The new era adoro-te já vou ter contigo.
+D. Santos já vou ai te cuscar give me a sec!!!!!!!!!!
E bem... Hellllooooooooo!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

sábado, 6 de setembro de 2014

Gossip, Day-by-Day 5#



Lovewriters, uma coisa que detesto é gossip, no meu trabalho é o que mais há, eu detesto tanto que hoje gritei com 3 pessoas, eu não sou uma pessoa temperamental mas de alguma forma foi hoje...
Odeio isto!

quinta-feira, 4 de setembro de 2014

Confidencias, Day-by-Day

Está sou mesmo eu já agora no casamento

Hoje eu venho vos falar de uma coisa sobre o D, Lembram-se do rapaz que vós falar em Memories e Eu confesso...? Bem, eu estive com ele no casamento e estamos de novo juntos, ele tinha viste o que eu escrevi no blogue e decidiu lutar por mim assim como eu por ele. Passamos o dia todo a conversar e a resolver os nossos problemas a noite estávamos bem... mas ele voltou para o Algarve e só daqui a um mês volto a vê-lo. É Horrível estar longe das pessoas que amamos.,.

Destaque da Semana 24# - DeCoração


Venho tarde mas sempre apareço aqui está o novo destaque da semana espero que gostem, adoro este blog, DeCoração da P'.

De onde veio a ideia?

- O DeCoração não nasceu de uma ideia propriamente dita, mas sim de uma necessidade. Este é, senão me engano, o terceiro blog que tenho, porém é o único que considero «a sério». Os blogs anteriores eram muito parados, escrevia mais para mim e não interagia com bloggers e outros blogues pelo que não tinha seguidores nem visitas praticamente nenhumas, e isso não me incomodava pois escrevia mais para mim do que para outros. Com o DeCoração as coisas mudaram, comecei a integrar-me na blogosfera, a conhecer novos blogues e novos bloggers e a falar com eles. Trocar ideias, palavras de apoio e opiniões. Sempre tive necessidade de escrever, e gosto pela escrita também e o DeCoração é quase como o meu diário pessoal aberto ao mundo. Gosto de desabafar nele pois sei que há sempre alguém que me vai ler e dar a sua opinião (quer seja boa ou má) e isso vai ajudar-me a ver as situações de uma perspectiva diferente.

Sobre o que fala o blog?

- O blogue sou eu. Fala de mim, das minhas vivências, dos meus medos, das minhas qualidades mas também dos meus defeitos. Dos monstros do meu passado e dos medos do meu futuro. 

De onde veio o nome?

- O nome surgiu devido à minha paixão por decoração aliada à minha faceta de romântica incurável. Tudo o que digo, escrevo e faço é, efectivamente, de e com o coração daí o blogue se chamar DeCoração.

Como se sente em relação a reacção das pessoas?

- Tem sido uma experiência fantástica. Nunca pensei ser tão bem recebida no mundo da blogosfera. Já troquei e-mails com algumas bloggers e descobri que tenho bastantes coisas comuns com algumas delas. É óptimo saber que escreva o que escrever vou ter sempre uma palavra amiga que me vai puxar para cima em dias maus ou alguém que se vai rir com os meus posts ou identificar-se com os mesmos. Acho que de certa forma me faz sentir compreendida e acompanhada e acho que isso é o que todos nós procuramos um pouco pela blogosfera. Adoro.

Que objectivos tem sobre o blog?

- Não há objectivos definidos para o blogue. É um sítio onde falo do meu dia-a-dia e de todas as minhas fraquezas e com isso procuro fazer ver a outros bloggers que não estão sozinhos nas situações menos boas da vida. 

Que próximos destaques terá o blog?

- O blogue já conta com uma rubrica, o Palavras Soltas que é nada mais, nada menos, que uma colectânea de pequenos textos e devaneios da minha própria autoria. Além disso, estou a pensar criar a rubrica Eu Através de Outros que visa retratar a minha pessoa e as minhas experiências através de excertos de livros/crónicas/artigos que leio e com os quais me identifico bastante. 

Quais são os seus blogues preferidos?

- Eu não tenho blogues preferidos, aqueles de que gosto sigo e tenho imenso gosto em lê-los e acompanhá-los. Gosto do tipo de blogue igual ao meu - pessoal. 

Que hobbies tem alem do blog?

- Quando não estou no blogue estou a ler, a ver uma série, a criar (desenhar, pintar, escrever), a namorar ou a planear o meu futuro e a trabalhar para isso.

Que música mais gosta?

- O meu género musical de eleição é o Rock. Pode ir desde o mais puro Rock'N'Roll dos anos 80 até ao Heavy Metal dos dias de hoje. Gosto deste tipo de música porque me revitaliza, tem power e faz-me sentir cheia de força. 

Qual é o seu maior sonho? 

- O meu maior sonho é trabalhar naquilo que gosto - Decoração ou Design - e talvez criar um negócio próprio, original e diferente que venha marcar as pessoas de alguma maneira.

Qual seria a pior coisa que podia acontecer?

- Acho que a pior coisa que me podia acontecer era perder a minha avó. Sei que é algo inevitável, todos chegamos a um fim, mas a minha vó foi quem me criou. Foi mais minha mãe que a minha própria mãe. É graças a ela que sou quem sou hoje e é a pessoa que melhor me compreende e com a qual mais me identifico, por isso, no dia em que a perder sei que inevitavelmente irei perder uma grande parte de mim mesma também.

Se tivesses um lema seria...

- Sê fiel a ti mesmo/a, só assim poderás ser fiel aos outros. Ama-te, acima de qualquer outra coisa ou pessoa pois de outra maneira nunca poderás dar amor incondicional a nada nem a ninguém.

Qual é frase que mais amas?

- «Uma coisa é certa, a dor de um sonho não vivido é incomparavelmente maior que a soma de todas as dores que possamos sentir durante a sua conquista.» - Gustavo Santos

Gostas de ler? Se, sim qual é o teu livro preferido?

- Não gosto de ler, AMO! Não tenho um livro preferido pois todos os que leio e levo a cabo até ao fim é porque têm algo de bom que me prende à história mas um dos livros que mais me marcou foi o «Gosto de Ti Assim» da Marta Gautier. Acho que não foi pela escrita em si, mas sim porque desde a primeira frase que me descreve na perfeição. Aquela é uma história que podia ser contada por mim mesma, na primeira pessoa.

Se tivesses um pedido para o meu blog no pensamento do dia qual seria?

- Acho que «a importância do amor-próprio» seria um bom tema. 

Quando foi criado o blog?

- O DeCoração nasceu a 23 de Fevereiro de 2014 e portanto é ainda um bebé por estes lados.

terça-feira, 2 de setembro de 2014

Controvérsias, Day-by-Day 4#


Oi gente. Sabem quando estão concentrados em algo e ficam ao ponto de não reparar o que está acontecer a sua volta. Bem, quando escrevo é isso que aconteço fico totalmente esquecida de tudo.

Interrogada, Deep Under Water 1#




3 Anos Depois em Haway

Ariana

Observei o mar estava tão calmo, era hoje que ia começar a universidade, onde iria viver num dormitório com outra rapariga, estava nervosa mas pronta. Fiz uma trança rapida enquanto caminhava ao longo da praia. Não havia um dia em que eu não pensasse no rapaz que salvara, será que ele lembrava-se? Tinha tanto medo que sim...

A nossa espécie era tão escassa(irei explicar mais tarde), havia tão poucos de nós e eu era a mais protegida em mim havia todos os poderes que existia entre as sereias (mais uma vez vocês irão perceber mais tarde), como podia prejudica-los, expondo-me?

Respirei fundo sentindo a areia entre os dedos dos pés, observei o céu como ele mudava consoante o nascer do sol enquanto apertava o fim da trança.

Aconcheguei o casaco de malha azul claro, onde tinha a T-Shirt preta e uns calções. Daqui a meia hora iria pegar no carro e ir para universidade e começar uma nova vida. Sorri passando a mão no colar e então vindo do nada uma bola de praia bateu na minha cabeça e eu cai na areia a olhar para o céu.

-Oh boa! Estás bem? Desculpa eu nem te vi. - Disse a voz de um rapaz e de repente o céu foi tapado pelo rosto de um rapaz.

-Seu grande parvalhão! Eu estava mesmo a vista! Ou és cego!?

Ele riu-se e ajudou a me levantar, assim que fiquei de pé pode vê-lo. Tinha o cabelo castanho cortado, musculado mas nada exagerado, tinha uma jersy e uns calções de basquetebol, ao ver esse look apercebi-me que era o novo vizinho vindo de Nova-York.

- Tu és o novo vizinho? - Perguntei sacudindo a areia da roupa.

- Sim, estás bem? - Perguntou olhando-me demasiado intensamente.

-Sim, tem um bom dia.

Virei-me e peguei no telemóvel para tirar uma foto ao por do sol adorando a névoa sobre o mar e as nuvens.

- Viveste sempre aqui? - Perguntou atrás de mim.

Mas que raio ele queria? Ignorei respirando fundo tirando fotos ao horizonte.

-Hey! - Exclamou agarrando o meu ombro.

O seu toque fez-me estremecer e a minha pele arrepiar, virei-me para ele retirando a sua mão do meu cotovelo.

- O que foi? Mas que raio queres? -Perguntei irritada. -Sabes pode ser considerado assédio.Tu não sabes como conhecer a vizinhança?

Ele riu-se e observou-me por um segundo e respirou fundo.

-Eu não queria ser mal educado apenas fiz uma pergunta.

Respirei fundo e continuei a andar e ele acompanhou-me.

- Estou aqui há três anos, vim de Phoenix.

- Oh, bem me parecia que não eras daqui - disse parecendo demasiado serio.

Reparei que ele parecia demaisiado serio, como se esperasse algo mas que não recebera.

- O que me denunciou? - Perguntei revirando os olhos.

Ele riu-se e então olhou para mim sorrindo.

- Não viveste em mais lado nenhum?

-Não- disse lembrando-me da história que tínhamos ensaiado.

Okay,porque é que ele continuava a andar atrás de mim. Senti a água a passar pelos pés e suspirei sorrindo.

- O que se passa? - Perguntou-me. -Tens intragram?

Olhei para ele confusa, enquanto ele me dava o telemóvel dele com o app aberto tinha o user @cabe34, eu digitei o meu @ari e pós-o a seguir.

Ele sorriu para mim, vendo que estava a ser simpática.

- Então o que se passa?

- A serio? Primeiro tu bates com uma bola, basicamente me persegues, pedes me o instragram e perguntas-me coisas pessoais como se me conhecesses. És um assassino ou perseguidor?

Ele riu-se as gargalhadas e então olhou para as casas um pouco cauteloso.

- Ariana!

Olhei para trás e vi a minha mãe sobre uma duna a olhar para nós com precaução.

- Está na altura de ir! As tuas aulas começam as 10h, são quase 7!

Bufei e olhei para o rapaz que parecia confuso.

- Tenho que ir, aproveita as ondas aqui, aprende a surfar, para de perseguir raparigas okay?- Perguntei indo para cima.

-Vemo-nos mais tarde - disse atrás de mim.

-Duvido - murmurei.

-Veremos.

Olhei para trás confusa, vendo que ele sorria e então virou-se brincando com a bola... eu nem sabia o nome dele, encolhi os ombros e foi ter com a minha mãe que estava de olhos no rapaz, enquanto lia um pouco de Atena de Drunkada na wattpad, adorava está fic principalmente o ornitorrinco azul! Ri-me com a cena do concerto mas guardei o telemóvel ao ver que a minha mãe me observava.

-Quem é ele?

- É o meu marido, queria saber se estou gravida ou não depois da noite louca que tivemos - disse revirando os olhos, enquanto ela cruzava os braços. - É o nosso vizinho mãe, sabes bem que eu não tenho amigos. Ele apenas encontrou-me aqui e pos-se na conversa comigo, nada demais.

Ela observou-me por um segundo.

- O quê? - Perguntei estranhando a maneira como me olhava.

- Eu pensei... - disse e então torceu os lábios bufando. - Vamos lá universitária, tens malas para levar e ainda conduzir por uma hora para lá.

Revirei os olhos e então fomos para a nossa casa de praia, que era uma espécie de cabana, com um alpendre onde era a nossa sala de jantar, Ana estava sentada na mesa, ela estava muito maior, com o cabelo comprido loiro com os olhos azuis mais astuto, ela usava um vestido azul e parecia que estava cheia de sono.

-Estás pronta para ir Ariana? - Perguntou-me parecendo ansiosa.

O meu coração apertou só de imaginar no que ela ira passar com a nossa mãe enquanto estou a estudar. Não é como se a minha mãe fosse autoritária apenas... era demasiado intensa o que significava que se Ana quisesse ir nadar ela não iria deixar depois do que de se passou... Eu não queria que ela ficasse a pensar que eu estivesse a abandonar por isso é que ia voltar todos os fins de semana, pensei tentando me tranquilizar.

- Sim goldfish - disse sorrindo dando-lhe um pequeno abraço.

Ela apertou-me forte antes de me largar eu dei-lhe um beijo na testa.

Observei a ir para a cozinha para buscar o meu pequeno almoço, ela crescerá tão rapido no entanto em termos de mentalidade ela podia ter 30.... matava-me deixa-la principalmente com os perigos que podia haver caso haja uma indicação do que somos.

Olhei para a minha mãe, ela estava com um vestido branco o que fazia contraste com o seu cabelo vermelho, ela estava com os olhos em lágrimas.

-Promete-me que iras ficar bem com Sally.

Sally era uma sereia como eu, ela tinha 21 anos e era dotado no seu dom de força e conseguia ter uma capacidade de fugir de caçadores incrível era a nossa guardiã depois de Mary... Engoli em seco tentando não pensar no assunto.

- Eu vou ficar bem mãe e vou estar perto do mar se algo acontecer vou para ilha oki?

Ela franziu os lábios, e entregou-me uma pasta azul da universidade.

- As tuas aulas, o mapa do campus e os contactos de emergência estão ai e... hum... tem aí um cartão de credito que só poderás usar em emergência oki?

- Obrigada - disse abraçando-a.

Ana apareceu com um saco térmico e entregou-mo, eu dei-lhe um beijo suave nos cabelos dourados e despedi-me de ambas tentando conter o choro ou até mesmo o pânico.
Sai de casa e entrei no meu mini azul onde já tinha todo o meu material e malas para levar para a universidade.

Liguei o carro e entrei na estrada estava tão preparada para está nova vida onde eu não tinha que estar
sempre a dar satisfações a minha mãe.

Eu não estava a espera de ser feliz apenas esperava ser o minimamente normal.

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

A Anologia da Morte (Wishlist Tag 14#)

Curiiiiiiossssaaaaaaa!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Hello September, Pensamento Do Dia 35#


Eu tenho andado tão ausente, gente peço imensa desculpa... mas trabalho imenso e não posso ignorar isso, mas vou baixar o app do blogue para poder publicar quando e como poder, claro que isso vai ser uma porcaria por causa dos erros, por isso peço imensa compreensão ao pessoal, eu espero que me perdoem. 
Mas aqui vai uma boa noticia é Setembro o meu horário vai mudar finalmente massss quero a vossa ajuda estou para entrar num curso de turismo o que acham?