As Cinquenta Sombras de Grey de E. L. James (Opinião)

Sinopse
As Cinquenta Sombras de Grey é um romance obsessivo, viciante e que fica na nossa memória para sempre.

Anastasia Steele é uma estudante de literatura jovem e inexperiente. Christian Grey é o temido e carismático presidente de uma poderosa corporação internacional. O destino levará Anastasia a entrevistá-lo. No ambiente sofisticado e luxuoso de um arranha-céus, ela descobre-se estranhamente atraída por aquele homem enigmático, cuja beleza corta a respiração. Voltarão a encontrar-se dias mais tarde, por acaso ou talvez não. O implacável homem de negócios revela-se incapaz de resistir ao discreto charme da estudante. Ele quer desesperadamente possuí-la. Mas apenas se ela aceitar os bizarros termos que ele propõe... Anastasia hesita. Todo aquele poder a assusta - os aviões privados, os carros topo de gama, os guarda-costas... Mas teme ainda mais as peculiares inclinações de Grey, as suas exigências, a obsessão pelo controlo… E uma voracidade sexual que parece não conhecer quaisquer limites. Dividida entre os negros segredos que ele esconde e o seu próprio e irreprimível desejo, Anastasia vacila. Estará pronta para ceder? Para entrar finalmente no Quarto Vermelho da Dor? As Cinquenta Sombras de Grey é o primeiro volume da trilogia de E. L. James que é já o maior fenómeno literário do ano em todos os países onde foi publicado.




Opinião...

Há tanto a dizer sobre este livro que nem sei por onde começar a não ser é claro por estás palavras: Quente, directo e bastante sensual.
Logo no inicio, é nos apresentado um Christian Grey inteligente, intimidador e enigmático e uma Anastacia Steele tímida, ingénua e bastante reservada. Está combinação faz com que o leitor se identifique com Ana.
O momento mais alto foi quando Christian mostra o Quarto Vermelho da Dor a Ana. A partir desse momento a historia ganha um ritmo sensual e quente.
Dominante e contraditório entrar no mundo de Christian Grey faz com que qualquer pessoa fique totalmente apanhada nas palavras de E. L. James. 
É impossível ficar-se sérios com as conversas que o Sr. Grey e a Sr. Steele. A personalidades escura de 50 sombras de Grey é tão cativante como perturbadora. A maneira como Ana fica confusa chega a desafiar o leitor a se meter na sua pele e pensar sobre como seria e como reagiria no momento. E eu adoro que um livro me faça pensar assim, que me faça ficar a ler até ao final e entender as personagens.
Apesar do enredo ser bastante simples as situações expostas, o livro consegue ser bastante original e cativante ao ponto de agarrar o livro e devora-lo. É desafiante a leitura recomendo para lerem, Lovewriters.


"É Gay, Mr Grey?"

3 comentários:

  1. Eu já li a trilogia e o meu preferido foi, sem dúvida, o primeiro livro. Os outros, é um pouco mais do mesmo. Não acho que seja um colosso da literatura, mas é uma leitura ligeira e divertida. É fácil de ler e cativa-nos. Gosto mais dos momentos em que conseguimos perceber um pouco mais das personagens do que os momentos "quentes".

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tenho a mesma impressão que tu, gosto mais dos momentos em que se percebe mais foi como apontei, as personalidades das personagem é o que levam o leitor se focar mais no livro.

      Eliminar
  2. Adorei ler a trilogia. Não posso negar que o primeiro instinto que me levou a ler foi o fato de a história ter por base o Twilight que eu havia lido e adorado e quis procurar as semelhanças. Por outro lado, intrigou-me o fato de, discretamente, ver homens e mulheres de várias idades em lugares públicos a ler o livro. Porque é que eles não conseguiam parar de ler? Porque é que eram capazes de ler um livro com tal cariz erótico num café, numa esplanada, no metro??? Quando comecei a ler percebi. Li o primeiro livro em três dias, ou seja, devorei-o. No segundo dia já estava a ir comprar os outros dois livros, sabia que ia gostar. Em primeiro lugar, é a personalidade da Ana que permite que qualquer mulher se identifique com ela. Depois é o lado sombrio e misterioso do Grey, que mexe com os nossos sentidos mais obscuros e os nossos desejos incompreendidos. E, por fim, mas não menos importante, quem resiste a viver, nem que seja literariamente falando um amor assim, tão implacável, inquebrável e arrebatador? Os pormenores picantes instigam a curiosidade e o prazer de ler. Conclusão:recomendo vivamente :-)

    ResponderEliminar

Com tecnologia do Blogger.